Área Restrita
 
 
 

Sacolas em TNT


Sacola TNT 80 gramas alça TNT reforço ilhois Sacola para vestir Sacola dois cordões bainha overloque BASTHIANNA BIJU Bolsa alça camiseta

Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (RIO+20)


A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, será realizada de 13 a 22 de junho de 2012, na cidade do Rio de Janeiro. A Rio+20 é assim conhecida porque marca os vinte anos de realização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92) e deverá contribuir para definir a agenda do desenvolvimento sustentável para as próximas décadas.

Com o objetivo de garantir que a Rio+20 observe os pilares do desenvolvimento sustentável, o Governo brasileiro criou, no âmbito do Comitê Nacional de Organização, uma Coordenação de Sustentabilidade. Sua função é analisar e propor ações para reduzir, mitigar ou compensar os impactos ambientais e sociais gerados pela conferência.

As ações estão organizadas em nove dimensões: gestão das emissões de gases de efeito estufa, recursos hídricos, resíduos sólidos, energia, transporte, construções sustentáveis, compras públicas sustentáveis, turismo sustentável e alimentos sustentáveis.

Gestão das Emissões de Gases de Efeito Estufa

O Comitê Nacional de Organização já finalizou o inventário pré-conferência (ex ante) sobre as emissões de gases de efeito estufa (GEE) da Rio+20. A elaboração desse inventário se baseou na posição oficial brasileira nos debates internacionais sobre mudança do clima, seguindo padrões cientificamente robustos e metodologias internacionalmente reconhecidas, respeitando as características nacionais. Esse trabalho será complementado por nova avaliação, realizada após o término do evento (estimativa ex post).

Os dois inventários incluem fontes de energia elétrica, combustíveis utilizados nos principais espaços oficiais da Conferência e nos veículos terrestres oficiais, disposição de resíduos e viagens aéreas dos delegados credenciados e do Secretariado das Nações Unidas.

A estratégia de compensação de emissões decorrentes da organização da Conferência Rio+20, no período de sua realização, será feita por meio de Reduções Certificadas de Emissão (RCEs), oriundas de projetos brasileiros do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), doadas por empresas brasileiras.

O Comitê Nacional de Organização já possui créditos de carbono necessários para a compensação das emissões associadas à organização da Conferência.

De forma a contribuir para viabilizar a compensação das emissões de viagens aéreas de delegados credenciados, o Governo brasileiro criou, em parceria com a Caixa Econômica Federal e PNUD Brasil, uma ferramenta digital que possibilitará aos participantes calcular suas emissões de GEE com viagens aéreas e comprar Reduções Certificadas de Emissão (RCEs) para compensá-las.

O Governo brasileiro encoraja todos os participantes a compensar voluntariamente suas emissões decorrentes de transporte aéreo usando RCEs provenientes de projetos brasileiros do MDL.

Recursos Hídricos

O Comitê Nacional de Organização (CNO) Rio+20 quer assegurar que o fornecimento de água seja feito em quantidade e qualidade adequadas às necessidades dos espaços oficiais e promover boas práticas para o uso racional. O CNO incentiva a conservação de recursos hídricos, através de divulgação de diretrizes e recomendações dispostas em termos de referências, manuais, documentos informativos e contratuais para participantes, expositores, fornecedores e parceiros.

Os sistemas hidrossanitários nos espaços oficiais da Conferência incluem mecanismos redutores de vazão, com arejadores temporizadores. Há também banheiros a vácuo, que reduzem o desperdício de água em até 80%. Alguns locais oficiais incluem ainda sistema de reaproveitamento de água pluvial.

Gestão de Resíduos Sólidos

Plano de Gestão de Resíduos Sólidos da Rio+20 está baseado na recente Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei n° 12.305/10). O Comitê Nacional de Organização (CNO) buscou instituir um modelo de gestão que consolide a hierarquia da não geração, redução, reutilização, reciclagem, tratamento e disposição final adequada de resíduos sólidos.

Um dos pilares da coleta seletiva da Rio+20 é a atuação de cooperativas de catadores, por meio de mecanismo participativo e que beneficie o maior número possível deles. Parte desse grupo estará também distribuído pelos espaços oficiais para atuar como educadores ambientais, orientar e sensibilizar os participantes sobre o sistema de coleta seletiva proposto, que estará dividido em quatro fluxos básicos: recicláveis, não recicláveis, orgânicos e pilhas, celulares e baterias.

As destinações dos resíduos serão realizadas da seguinte maneira:


  • Os resíduos recicláveis serão destinados às cooperativas de catadores;

  • Os resíduos não recicláveis serão dispostos em aterro sanitário;

  • Os resíduos compostáveis serão encaminhados para a produção de adubo;

  • As pilhas e baterias serão destinadas para reciclagem de seus componentes.



A correta sinalização do sistema de gestão de resíduos adotado é um dos principais fatores para que a coleta seletiva ocorra de maneira adequada. A sinalização dos coletores estará em português, inglês e braile, sempre que possível.

Eficiência Energética

O Brasil é um dos países com maior participação de fontes renováveis em sua matriz energética. Em linha com esse compromisso com o desenvolvimento sustentável, o Comitê Nacional de Organização (CNO) da Rio + 20 buscou soluções orientadas à sustentabilidade também quanto à energia utilizada durante a Conferência.

A estratégia adotada visa tanto a oferta quanto o consumo. Na oferta, os geradores do evento utilizarão B20, óleo diesel com 20% de biodiesel. O uso de combustível de origem renovável representará a redução do consumo de 280 mil litros de diesel de origem fóssil, o suficiente para abastecer um ônibus por mais de 800 mil quilômetros de percurso ou uma viagem de ida e volta à Lua.

A utilização de equipamentos eficientes, pelo lado do consumo, também representa uma ação significativa. Nas áreas temporárias, construídas especificamente para a realização da Rio +20, serão utilizados equipamentos etiquetados pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem nas faixas de mais alta eficiência, como condicionadores de ar e tecnologias de iluminação como LEDs e lâmpadas fluorescentes de última geração. A redução do consumo é estimada em 38 MWh, e corresponde à média de consumo de energia de 700 residências ao longo do período da Conferência.

O CNO orienta sua cadeia de fornecedores e os gestores dos espaços oficiais a utilizarem energia de forma eficiente, elétrica ou por combustível. O Comitê também fará o acompanhamento dos serviços para garantir o cumprimento das especificações quanto ao uso de equipamentos mais eficientes no consumo de energia.

Transporte

A frota de carros oficias utilizará motores de combustível duplo (ou bicombustível) e os demais veículos oficiais serão movidos a biodiesel e a gasolina E20-25 (com 20% a 25% de etanol na mistura). Com o objetivo de reduzir o coeficiente de emissões da Conferência, esses veículos utilizam prioritariamente etanol, um combustível que não contribui para o agravamento do efeito estufa, conforme reconhecido pelo Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC). Essa iniciativa fortalece a posição brasileira nos debates sobre mudança do clima e sobre biocombustíveis.

Além disso, de forma a incentivar o uso de transporte não motorizado, os espaços oficiais da Rio+20 contarão com bicicletários.

Também está sendo planejado para a Conferência esquema especial de transporte coletivo para substituir o quanto for possível o uso de transporte individual.

Construções Sustentáveis

No âmbito das edificações a serem construídas nos espaços oficiais da conferência, o Comitê Nacional de Organização desenvolveu diretrizes de sustentabilidade a serem seguidas pelos fornecedores de serviços de construção e montagem nestes espaços. Estas diretrizes estão organizadas no formato de um documento intitulado "Diretrizes de sustentabilidade para as edificações efêmeras".

Compras Públicas Sustentáveis

O setor de compras governamentais tem participação significativa no Produto Interno Bruto (PIB), inclusive como incentivador de boas práticas. Há interesse estratégico do Governo brasileiro em incentivar processos sustentáveis de compras governamentais.

Os processos de aquisição e licitação de produtos e serviços da organização da Rio+20 incluíram critérios de sustentabilidade, tais como compra de equipamentos de alta eficiência energética, uso de madeira certificada e utilização de materiais reciclados.

Turismo Sustentável

As ações em turismo sustentável fundamentam-se no Programa Passaporte Verde e na adoção de boas práticas no setor hoteleiro envolvido na Conferência. Para isso, o CNO incluiu o conteúdo do Programa Passaporte Verde no aplicativo oficial da Rio+20 e em seus materiais de divulgação na rede hoteleira. O CNO está em fase final de elaboração do documento Diretrizes de Sustentabilidade para os Meios de Hospedagem.

A Campanha Global Passaporte Verde é uma iniciativa da Força Tarefa Internacional para o Desenvolvimento do Turismo Sustentável e está fundamentada nas políticas de Consumo e Produção Sustentáveis. O Governo brasileiro é representado pelos Ministérios do Turismo e do Meio Ambiente, os quais, juntamente com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e o Ministério da Ecologia e Desenvolvimento Sustentável da França, decidiram criar e implementar a Campanha Internacional Passaporte Verde para alcançar os objetivos propostos pela Força Tarefa Internacional.

Alimentos Sustentáveis

O Comitê Organizador da Rio+20 incentiva a elaboração de cardápios que contemplem os princípios da gastronomia inclusiva nos espaços oficiais da conferência. O Riocentro terá restaurantes que oferecerão alimentos orgânicos, da agricultura familiar, de acordo com os princípios da gastronomia inclusiva e que respeitem particularidades das diferentes culturas presentes no evento.

O CNO elaborou um documento intitulado "Diretrizes de Sustentabilidade para as Empresas de Alimentação" a fim de orientar sobre as boas práticas sustentáveis no setor.


Confira a agenda do evento em http://www.rio20.gov.br/eventos.
Não esqueçam, a utilização de sacolas em TNT é uma forma de contribuir com o futuro do planeta.

Adquira ecobags e contribua para o futuro do planeta.



Fonte: Site do Evento Rio+20

4669 visitantes leram este informativo.

Outras Notícias:

DECRETO N 42552 DE 12/07/2010 - Substituição e recolhimento de sacolas plásticas

Como presentear de forma ecológica

Poupar água

Ecobag a missão

Reciclagem

Não precisamos de tantas sacolas plásticas em casa

Embalagem Ecológica

O fim das sacolas plasticas

Campanhã não utilize sacolas plásticas

Sacolas retornáveis substituem as de plástico

Guardanapo biodegradável detecta bactérias e vírus

Tecnologia de Não-Tecidos

Confira um jeito moderno de fazer marketing, com sacolas de TNT

Confira os benefícios dos produtos em TNT para sua clínica

Veja como o TNT pode dar um toque especial em suas festas de aniversário

Supermercados Brasileiros inovam com a utilização de sacolas em TNT em substituição às sacolas